Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bluegazine

Sabe o que vem aí

Vodafone Mexefest 2017: Fechar 2017 a Olhar para o Futuro

7.jpg

 O Festival Mexefest veio para a Avenida da Liberdade, em Lisboa, de forma tímida há uns anos com um formato original que convidava o público a circular nas ruas da baixa lisboeta em busca de novos sons e também de nomes consagrados. Para visitar salas clássicas e descobrir espaços menos óbvios da cultura de Lisboa.

O Festival foi crescendo, ganhou o seu espaço e afirmou-se como o grande evento que fecha o ciclo de festivais em Portugal à entrada do último mês do ano. Tão certo como termos as iluminações de Natal, é a realização do Vodafone Mexefest anualmente.

O público aderiu ao conceito,aprovou e esgotou a edição de 2017.

Duas noites com muita música e vários espaços percorridos, conforme o gosto e a motivação de cada um.

Para quem tem frequentado as várias edições do Festival acaba por ter que comparar as ofertas de ano para ano. EM 2017 sentiu-se a falta da lindíssima sala da Sociedade de Geografia de Lisboa mas ganhou-se o espaço do Palácio da Independência, por exemplo. Este é um dos segredos do evento, ir abrindo o leque de opções ao longo dos anos.

Hoje é difícil de acreditar que este Festival já aconteceu sem passar pelo Coliseu dos Recreios. Agora é a sala principal do Vodafone Mexefest. Por ali passam os nomes mais fortes do cartaz. Tivemos excelentes concertos dos Washed Out, Orelha Negra, Cigarettes After Sex, Everything Everything ou Moullinex.

Objectivamente, o Mexefest fecha o ciclo de concertos de 2017 mas abre uma janela para os festivais de 2018, porque o sucesso da atuação destas bandas garantem a sua convocação para algum dos vários eventos do próximo ano. Arriscamos dizer que os Cigarettes After Sex, Washed Out, Destroyer, Mahalia ou as Hinds terão regresso marcado em breve.

O outro grande destaque que se deve fazer do cartaz do Vodafone Mexefest é a forte aposta na música portuguesa. Alguns dos projetos mais interessantes da atualidade passaram pelo eixo da Avenida da Liberdade. Por exemplo, no palco do Palácio da Independência houve uma sucessão de hip hop que teve na reunião dos Micro o seu ponto alto.

Inesquecível foi a atuação dos Songhoy Blues na Casa do Alentejo, um momento que marca bem esta edição do Vodafone Mexefest 2017.

Ficam algumas imagens para recordar as últimas noites vividas com emoção na Avenida da Liberdade: